Amanhã não existe, é sempre o mesmo dia.

“Prefiro viver 10 anos a valer do que 60 assistindo televisão”. E foi o que aconteceu com Janis Joplin. Um grande marco e ao mesmo temp um limite máximo da rebeldia e da transgressão da juventude nos anos 60. Ela extrapolou através de sua voz roupa e selvagem todos os padrões de expressão e comportamento, levando às ultimas conseqüências seus questionamentos em relação a vida, a musica, ao amor, as regras e modelos sociais estabelecidos. Porém com apenas três anos de sucesso, Janis morreu em 1970, de uma overdose de heroína. Era então a cantora de rock mais bem paga do mundo.
“Se você tem uma coisa hoje, bicho, amanhã já não vai querer mais: porque já não precisa… Na realidade “amanha” não existe, é sempre, eternamente, o mesmo dia…
Anúncios

Comentários encerrados.