Não podemos viver de olhos vendados

Vejam que bela instalação encontrei na esquina de minha rua. Estou tratando como instalação, pois, minha perplexidade me faz recusar a acreditar que meio a tanta campanha sobre o meio ambiente me depare com essa obra de arte, ou melhor, dizendo de arteiro.
 
Fico meditando o que leva um ser humano a roubar uma lixeira da rua. E também qual é o insano que pendurou o lixo no local sem lixeira. Veja bem, são quatro esquinas, as quatro possuem latas de lixo, ou possuíam já que uma delas foi roubada. Restam as três das outras esquinas, basta atravessar a rua. Ma não, é pedir demais eu acho, a criatura pendura o saco no local onde não há mais depositório.
 
Enquanto países europeus já trabalham com projetos de lixo zero e o Serginho Groisman aparece na televisão a todo o momento falando no assunto, temos o desgosto de saber que ainda existem pessoas capazes que criar uma instalação como essa.
 
E pobre de mim que sonho com lixeiras com separação para reciclados em meu bairro. Devo estar viajando alto demais, seria uma verdadeira festa para essas pessoas. Imaginem… Iriam poder colecionar lixeiras coloridas.
 
Pelo amor de qualquer coisa que você acredite, me ajude, me salve. Não viva de olhos vendados. Passe a informação adiante. Seja ativista, informando e chamando atenção para a importância de tratarmos o lixo de forma correta. Ou corremos o risco de acabar vivendo em um enorme lixão.
 
De minha parte, só espero que quem roubou a lixeira a esteja usando como cama, pois, esse ser é um verdadeiro lixo. E detalhe possivelmente com tempo de decomposição indeterminado.
Anúncios

Comentários encerrados.