Este time precisa vencer.

O Brasil ontem venceu de dois a um. Para um país pentacampeão não é o melhor placar, mas para início na copa valeu. Dunga, mesmo sem dizer bom dia, conseguiu unir craques que não estão acostumados a jogarem juntos e sair do campo vencedor.

Ainda posso escutar o som das cornetas que foram soadas, mas a corneta que me soa mais alto e profundamente é a que se refere aos dados estatísticos da África, pais que sedia a copa.

A África é o terceiro continente mais extenso com cerca de 30 milhões de quilômetros quadrados, cobrindo 20,3 % da área total da terra firme do planeta. É o segundo continente mais populoso da Terra com cerca de 900 milhões de pessoas, representando cerca de um sétimo da população do mundo, e 53 países independentes. Apresenta grande diversidade étnica, cultural e política. Nesse continente são visíveis as condições de pobreza, sendo o continente africano o mais pobre de todos; dos trinta países mais pobres do mundo (com mais problemas de subnutrição, analfabetismo, baixa expectativa de vida, etc.), pelo menos 21 são africanos.

E é por esse motivo que chamo atenção para outro time que está em campo na África e que necessita de seu apoio para ser vencedor.  É exatamente neste campo, o continente africano, que MSF (Médicos sem Fronteiras) concentra a maior parte dos seus projetos. E o desafio mais decisivo não é vivido apenas de quatro em quatro anos, mas encarado todos os dias por profissionais que estão em campo para atender a populações em situação crítica, nos lugares mais inóspitos, atingidos pelos conflitos, pelas doenças, pela fome. Para isso, MSF convoca profissionais em todo o mundo, e também no Brasil, que passam por intenso treinamento e preparação, incluindo palestras dadas por pessoas que acabaram de voltar de missões e reuniões com os coordenadores dos projetos. Como no futebol, o trabalho envolve muito espírito de equipe, com um time de médicos, psicólogos, enfermeiras, especialistas em logística e administradores que se entrega por inteiro a essa causa.

Só para você ter uma idéia de como sua doação pode garantir a continuidade do trabalho da MSF, com R$ 36,00 eles vacinam 100 crianças contra sarampo e com R$ 48,00 podem oferecer tratamento de tuberculose para uma pessoa durante seis meses.

Para apoiar a organização Médicos sem Fronteiras, basta entrar nesse site http://www.msf.org.br/timedecampeoes/sobre.asp

Eu conheço a organização, sei que é idônea e recomendo. Necessitamos ter nossas mentes abertas para além do campo de futebol. Afinal milhões de pessoas estão morrendo enquanto a bola rola e soam as cornetas.

Anúncios

Os comentários estão desativados.