Troféu Abacaxi

Que de um limão seja feita uma limonada, é uma lição de vida que já aprendemos. Pois bem, ontem fizemos foi uma laranjada. Outra frase sempre escutada é que vença o melhor, desde que o perdedor não seja o Brasil não é mesmo? E foi.
 
Sinceramente o que mais me impressionou foi o destaque que a Globo deu as vuvuzelas toda a vez que faltava assunto, sem comentar em um sequer momento o uso do uniforme confeccionado em poliéster de garrafa pet, assunto muito mais pertinente e nobre. As vuvuzelas vão ficar aí, 500 anos de decomposição cada. Vamos rezar para que as pessoas guardem por quatro anos.
 
Outro fato interessante é que meio ao frisson copal, a decisão da lei para que os supermercados mudem suas sacolas que possuem cem anos de decomposição foi adiada. É assim que a coisa funciona, o governo se aproveita da distração do torcedor para fazer o quer. E ainda gritamos pra frente Brasil.
 
Só me resta ‘dar bom dia para Dunga’ e de certa forma ficar satisfeita, pois as coisas irão voltar a funcionar. Escolas vão ter aulas, produtos serão entregues nos supermercados, etc. 2014 a copa é aqui, aí sim é o momento de alcançar o Hexa. Confesso que já sinto medo, pois se na África já vivemos todo esse caos, imagine no Brasil. O governo irá aprovar e desaprovar o que bem entender, a população ficará completamente descontrolada e no fim quem leva o dinheiro são os jogadores, técnicos e a FIFA.
 
 Acho que o símbolo perfeito para mascote seria o abacaxi. O troféu abacaxi do saudoso Chacrinha cairia como uma luva.
Será que algum dia vamos conseguir vestir a camisa do Brasil de verdade? Não para jogo, mas para um país melhor? Espero que sim. Pois no momento somos um reflexo do que aconteceu no segundo tempo do jogo de ontem.
Anúncios

Os comentários estão desativados.