Lidando com as emoções

O texto que apresento no Blog de hoje é um pouco grande, mas de grande importância e ajuda. Sugiro que leiam na integra.

Lidando com as emoções

 

Como elas ocorrem?
Quando estimuladas mentalmente. São sensações cíclicas, impulsos, forças que sobem e descem como ondas. Por exemplo, numa situação ofensiva nos deparamos com a raiva.
Essas forças são fundamentais na vida, como a RAIVA, O CHORO, A CORAGEM. Temos nossa força. A segurança depende da intensidade dessa força.  O MUNDO É DOS FORTES.
 
O que você anda fazendo com a sua força?
Se você se ofendeu muito com o que alguém lhe falou, é que você deu muita importância ao fato. Se não der bola, aquilo passa a não ter importância. Ser chamado (a) disso ou daquilo não significa dizer que você É isso ou aquilo. Não dê ouvidos a rótulos.
Daí se deduz que a força se manifesta de acordo com o nosso modo de pensar.
Eu me enraiveço com determinada situação. Quantas coisas o (a) chateavam e hoje não mais chateiam.
Vemos pessoas com a postura curvada, pedindo licença para existir, carregando o mundo nas costas. Onde está a sua força? Elas mesmas se proíbem de ter prazer, de sentir; elas se amarram.
Coloque limites. Todos merecem respeito; o mal está no pensamento.
 
A RAIVA depende da maneira de encarar os fatos. Muitas vezes obstáculos são superados com a força da raiva.
Raiva é energia.
A força pode se virar contra nós mesmos, causando danos, doenças. Como uma faca, é um instrumento que pode ser  usado para o bem ou para o mal.
Assim é a força: quando bem usada é extraordinária; quando mal usada só nos causa prejuízo.
 
Devemos usar nossa força de modo inteligente. Por exemplo, vemos coisas erradas acontecerem e ficamos com raiva, mas nada fazemos. Isso acarreta REVOLTA, que traz consigo a MÁGOA. As coisas não ocorreram como gostaríamos. E vem o ÓDIO. Esse ódio é uma força muito violenta que fica nos corroendo por dentro e causa 90% das doenças que adquirimos. É um veneno para o nosso organismo; altera todo o metabolismo.
 
Isso é causado pela ARROGÂNCIA. As coisas deveriam ser desse modo e não daquele…
E vêm as queixas, as amarguras, a tristeza, a depressão. Não sabemos mais o que querermos  na vida. E culpamos Deus. Mas, Ele não é nosso empregado. Foi você quem projetou e construiu seus castelos de sonhos e os alimenta. Quando as coisas não funcionam como você sonhou, primeiro você cobra:”Depois de tudo o que eu fiz por ele, veja o que recebi…” E se deixa contaminar pelo ódio, pela tristeza, pela depressão. Você quer se destruir para punir a vida. Toda depressão descende de um ódio armazenado.
Chega dessa cara de vítima. Chega de fazer as coisas por dever (Eu tenho que, eu tenho que…) Faça-as com prazer, ou não as faça.
Ninguém assume:”Fui o responsável; sonhei, fantasiei.”
NÃO ADIANTA TER ÓDIO DA VIDA; ELA CONTINUA…
A humildade é fundamental na cura. A vida é assim; as pessoas são assim; não podemos mudá-las.
Eu não sou como você precisa, mas sou como eu sou.
Jogue fora a arrogância. Se aceite.
Muitos jogam o ódio no espelho; não se satisfazem com o que vê refletido. A lei da vida é a lei da atração. Não briguemos com a vida.
O corpo não mente. Aqueles que sofrem com a raiva, geralmente sofrem com os dentes, as unhas (as defesas); ainda dor de cabeça, estômago, peito.
Se a raiva fosse só no momento seria melhor. Mas, a gente lembra, guarda o motivo e cada vez que lembramos começamos a sentir tudo de novo, de uma forma destrutiva…
Tenha CORAGEM; vibre dizendo: “Eu vou conseguir!”
 
Entre de férias psíquicas. Pare de querer as coisas daquele jeito. Mais vale a sua saúde, a sua paz. Acabe com essa sonhadora, essa mimada, essa neurótica.
AS COISAS SÃO O QUE SÃO. E NUNCA SERÁ O IDEAL…
Ninguém jamais será o ideal para você.
Entre de férias psíquicas. Não queira carregar os problemas do mundo; não queira corrigir ninguém. Você pode melhorar arriscar mais na vida. Chega de passar os anos se fazendo de vítima. Use a força para conhecer o novo. Não deixe nada tirá-lo (a) do sério.
Cada um tem a sua força; ajudar muitas vezes não é empurrar, mas largar.
Façamos só o que podemos fazer; coloquemos limites. Personalidade se muda, se molda. A raiva com certeza vai parar de fluir de maneira diferente.
 
Força é poder; é um bem necessário. Poder para confrontar. Use de franqueza com o outro. Diga-lhe o que ele faz que o (a) magoa. Fale abertamente das suas limitações e problemas. Essa é a realidade. Analisemos ainda se ao dizer aquilo, aquela pessoa não tinha razão. Sem a força não teremos paz. Nós merecemos a força que temos. A sinceridade faz parte da vida. Devemos expressar quando não gostamos das coisas que nos fazem. Quem arriscar vai ganhar. O MUNDO É DOS FORTES.
 
Reflita agora se você deu a sua força a alguém. Pense nessa pessoa e coloque-se no mesmo nível que ela. Ninguém está acima de você. O poder está em você; não o jogue fora. Ninguém pode afetá-lo (a).
Cresça; saia da ilusão; não dê a sua força para ninguém.
Tenha dignidade, postura, presença, carisma. Aja com liberdade, não se deixe afetar por nada.
 
Nosso modo de pensar é o que muda tudo. Assim, a raiva nem sempre é destrutiva se usada com inteligência, que é luz.
 
Quando acreditamos na maldade, reprimimos nossa força que se transforma em MEDO. Maldade, maledicência, acreditar no mal. Quando acreditamos, uma força aparece para defesa. Nossa emoção se transforma em defesa; estado de alerta; muda o nosso metabolismo. Haja adrenalina.
O medo é o mau uso do nosso alerta, pois nos paralisa; impede as coisas de acontecer. A prudência não nos paralisa, o medo sim.
O medo desencadeia energia de defesa, de repulsa.
O medo em demasia causa stress. Ele foi criado na sociedade para que você não tenha voz ativa. A servidão acabou.
Existe também o medo do amanhã seguido daquela pergunta: “E se?” “E se acontecer isso, como vai ser?” “E se eu perder o emprego, como vou fazer?”
Essas não são situações reais.
Já o medo fóbico é diferente. Ele se relaciona com alguma situação que a gente não quer sentir, mas já está sentindo. Medo de barata, medo de altura, de avião etc. O que podemos fazer com situações ruins com que não sabemos lidar? A gente pode não prestar atenção mas elas existem. São as sensações de fobia, suor. Contaminam as pessoas como se a coisa tivesse poder sobre elas. A força chama a atenção. Lembre-se que:
TUDO O QUE VOCÊ TEM MEDO JÁ ESTÁ ACONTECENDO
Aí vem a síndrome do pânico.
Do quê você tem medo? Medo de ficar sem poder e ficar como? Qual a sensação que você não quer?
Se acontecer aquilo você teme, o que você não quer sentir?
“Isso está acontecendo em minha vida e me sinto impotente. Já me sinto assim. Como eu me faço isso?”
Como você tem provocado isso?
Conscientize-se que é você que está causando isso. Quando você nega a sua força, ela aparece de forma mórbida, que é a fobia.
Você está reprimindo a OUSADIA.
 
Força é responsabilidade, poder. “Sei, faço, banco, realizo.” A dependência é horrível. Responsabilidade é a ciência da habilidade, é a habilidade de criar algo. Responsabilidade é o poder de saber fazer, manter, criar.
Toda arte é expressão do ser. Somos todos artistas. O entusiasmo nos leva as coisas boas da vida.
 
Existem mais de 30 formas de CHORO. Nenhum choro é igual; choramos de tristeza, de alegria, de comoção, de raiva… Os canais de expressão superlotam de emoção esta sobe e provoca o choro. É uma reação natural do fluxo da energia. É fundamental chorar dentro de uma emoção rela. Os preconceitos sobre o choro são bobagem.
 
Uma das grandes emoções é o TESÃO. Tesão é mais que sexo; é sensualidade. É você comer bem, dançar, tomar sol, arrumar a casa, ver tudo em ordem; é muito pessoal e depende de cada um. Está presente em tudo aquilo que é prazer de viver. O ambiente faz parte da gente.  Banho, perfume, música, uma roupa que você gosta, um chinelinho, tudo o que lhe causa prazer, conforto. O quanto você se permite ter prazer? Como você recebe um elogio, um presente? Muitas vezes não percebemos o nível de necessidade do nosso receber.
O PRAZER SÓ PODE FLUIR SE VOCÊ ESTÁ DE BEM COM A VIDA
A vida é uma é uma oferenda.
O sol é uma oferenda. Ele flui na gente e nos tonifica.
Viva cada segundo que a vida lhe oferece e seja grato (a) por isso.
(Resumo de palestra ministrada por Luiz Gasparetto)
Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s