Jonh Lennon vai a show de Paul MacCartney

Jonh Lennon pode sim estar no show assim com George Harrison. Na platéia podemos Ter Jim Morrison, Janis Joplin, Elvis Presley, Michael Jackson, Joe Ramone etc. Isso para aqueles que acreditam que existe vida após a morte.

Ou eles podem não estar podem já ter reencarnado, para os que acreditam em reencarnação.

O ponto é o seguinte: Apenas uma brincadeira para levantar a questão de que é preciso respeitar a opinião do outro. A crença do outro. Dizer não a intolerância religiosa e ao racismo.

Cada ser humano é livre para acreditar no que quiser e racismo é crime. Lei N° 7.716, Art. 1° – Serão punidos, na forma desta Lei, os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Lembro-me que quando criança cantavam para mim: ”pretinhos,branquinhos e amarelinhos, nós somos, nós somo irmãos…”  Será que isso ainda é cantado? Onde foi parar essa idéia? Diferenças somam, não dividem. Vamos parar de colocar rótulos, vamos aprender com as diferenças dos outros e parar de criar muralhas de preconceitos.

Estamos vivendo um ano de campanha de combate a Intolerância Religiosa.

No site WWW.eutenhofé.org encontrei o seguinte:

Comissão de Combate à Intolerância Religiosa denuncia “ditadura religiosa” no Brasil
ao Presidente do Conselho de Direitos Humanos da ONU

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa – CCIR – entregou em 26 de junho, relatório que denuncia o estado de “ditadura religiosa” promovida pelos neopentecostais no Brasil, ao Embaixador Martin I. Uhomoibai, presidente do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas. O documento relata 15 casos atendidos pela CCIR que desenrolaram em 34 ações judiciais – no Estado do Rio de Janeiro -, além de 3 vítimas que vivem ameaçadas em suas próprias comunidades e 10 casos de intolerância religiosa em outros quatro estados. O relatório aponta a Igreja Universal do Reino de Deus como propagadora da intolerância religiosa no país.

O objetivo é pedir ao Embaixador que designe um investigador para comprovar as denúncias e que seja elaborado um diagnostico pela ONU. Outro objetivo é acelerar a realização do Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa pelo governo brasileiro.

O documento, produzido pelos próprios religiosos da Comissão, não traz estatísticas – que não existem. Toda documentação é feita por matérias publicadas na imprensa sobre as vítimas de intolerância religiosa e as formas de perseguição. O capítulo 3 trata do conflito entre as igrejas neopentecostais e a imprensa livre no Brasil, revela o domínio da mídia eletrônica pelos neopentecostais.

Uma copia do relatório também foi entregue ao Secretário Executivo da Comissão da União Africana – Sr. Adama Samassekou (Presidente da Academia de Letras Africanas/ ACALAN); Presidente da Conferência de Lideranças em Direitos Civis – Sr. Wade Henderson e Membro do Comitê Internacional de Seguimento de Durban – Sra Epsy Campbell, além do Ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim e Zulu Araújo, presidente da Fundação Palmares.

Relatório enviado a ONU

relatorio_onu

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s