Vinil acabou?

Cadê o encarte? Ah não, esse disco veio sem o encarte? Como vou ler a letra da música? E as fotos? Não acredito que lançaram esse LP sem encarte. Que droga.

Ih acho que a agulha da minha vitrola está ruim tenho que comprar outra. Farei isso amanhã sem falta, essa porcaria está correndo direto sem parar na faixa. Ah lembrei: Um amigo meu disse que se colocar uma moeda em cima ajuda.

Nossa deve ter gente lendo isso e nem estar entendendo do que estou falando. Para mim foi ontem. Mas o que aconteceu com o vinil? O LP? Grandes, lindos, quase quadros? E o fato de comentar a última música do lado B?

Está bem para vocês que apenas vêem camelôs vendendo LPs na rua. E não vivenciaram isso, nasceram depois do Cd, o que falo não faz o menor sentido. Parece atraso. Mas digo que não.

Hoje a maioria dos Djs não usam mais o vinil, coisa que era muito mais verdadeira, pois o Dj tinha que escolher na hora o que tocar. Trocar os discos rapidamente na pick up, passando a musica de um disco para outro, ou seja, colocar literalmente a ‘mão na massa’. Em meu ponto de vista: Arte. Hoje é tudo pré-programado.

Porém, ainda existem apreciadores que concordam com minha visão. Djs que colecionam e insistem em tocá-los. Um deles é o DJ David Tabalipa. Atrasado? Que nada. David lota pistas no Rio e em São Paulo. Ao perguntar a ele por que David? Por que ainda o vinil? Ele responde:

“Antes de tudo eu sou um colecionador de discos. Sou DJ e toco com vinil porque trabalho em propaganda, como diretor de arte, e me dou ao luxo de ainda comprar discos. Se fosse apenas DJ acho que não usaria mais vinil.

Outro ponto, é a relação física com a música que o vinil proporciona. Pegar o disco, colocar na pick-up, ver a arte da capa num tamanho ideal, arte do label, encarte e todas as informações sobre a música e o artista. E esse lado estético tem tudo a ver com a minha profissão.

Então a minha relação com a música é muito diferente da de quem usa mp3, CDs ou CDs gravados. Ela é mais completa, mais física, quase um fetiche. Sacou?”

Saquei e digo: Fetiche nada David, é mais real mesmo. É mais DJ! Mais verdade.

Tudo bem que o CD ocupa menos espaço, e arquivar musicas em computador ou Mp3,4, Ipod ou sei lá mais o que é bem mais prático. E realmente não dá pra termos o luxo que David tem de termos uma estante cheia de vinis.

O tanto que gosto de música iria acabar tendo que alugar um apartamento. Mas em termos da profissão DJ acho mais sincero.

Para os que não são DJs, claro, bem mais fácil esse nosso mundo moderno. Mesmo assim, eu particularmente nunca irei me desvencilhar de certas pérolas que possuo. Assim os guardo com carinho.

Mas, o que fazer com aqueles que compramos e não fazem mais sentido? Jogar fora? Nunca!

Vinil é à base de PVC, o que representa 500 anos de decomposição no meio ambiente. Jogar fora? Repito. Jamais! Veja abaixo um dos trabalhos que faço com aqueles que as pessoas não querem mais.

Sim, não tocam na vitrola, mas tocam em forma de arte para os que apreciam.

Anúncios

1 Comentário »

  1. Sandra said

    Apesar de não ter mais vitrola para ouví-los, também ainda guardo alguns discos de vinil que considero preciosidades.

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s