Liberdade de Expressão – Direito de resposta ao post da Maria Bethânia

O Alien é um marciano justo e que acredita na liberdade de expressão. Publicou uma matéria sobre a Maria Bethânia, usando sua linguagem de trocadilhos que sempre faz. E emitindo sua opinião sobre o ocorrido quanto ao projeto enviado ao MinC. O marciano, costuma sim, explicar por vezes coisas óbvias, partindo do princípio de que não sabe que leitor está acessando.

Alguns leitores que acessam, são jovens, e como em toda imprensa, é de costume falar sobre o passado de artistas. Assim, também o Alien segue essa linha de pensamento. Sua forma de escrita é e sempre foi dadaísta.

Acredita em um mundo onde se fossemos clones, onde se todos pensassem igual, não teríamos mais o que discutir. Gosta de diferenças e aceita as pessoas como elas são. Cada qual com o seu pensamento. Mas nunca usa de agressão se discorda de algo, e sim respeita opiniões diversas.

Recebeu em seu blog o comentário abaixo, e achou por bem, uma vez que acredita na liberdade de expressão, ao invés de simplesmente deletar, publicar.

Isso sim, é a verdadeira liberdade de expressão. Cada um com o seu pensamento. E aí está o pensamento de quem comentou.

Dessa forma, quem com ele concordar, segue os contatos para que possam segui-lo, pois a linha do Garra é sim a da Revistinha da Mônica com muito orgulho.

Apenas para ilustar que o Alien não é o único “Ser” de outro planeta – vejam esse link pubicado por Ricardo Noblat – http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2011/03/21/o-pai-370017.asp – Ele também deve ler revistinhas de fofocas e da Mônica como o Alien, que bom.

Autor: Brian Lima

Email: brian.lima.crf@gmail.com
URL    :
Whois  : http://whois.arin.net/rest/ip/187.48.52.25
Comentário:
Senhora coitada que não teve a coragem de se identificar, logicamente por saber que esse absurdo, cheio de trocadilhos ridículos com trechos de músicas consagradas de artistas que um dia você sonhou em ser e não conseguiu (isso explica sua revolta de frustração) seria rechaçado pela comunidade pensante desse país. Pessoas assim, alienadas, sem argumentação e hipócritas, não entendem o que é Um verdadeiro Projeto Cultural e muito menos o que é a “Lei de Incentivo” que se refere, e quer dar uma de intelectual aqui nesse blog ridículo? Eu devo ser a única pessoa que tem a delicadesa de responder tamanho absurdo, mas faço questão de defender, nest espaço, a aculturação e disseminação de coisas intelegíveis e decentes na net, que não seja “vou não posso não quero não” que voc|ê deve amar, ou estar na lista de pessoas que mais viram o vídeo de Parangolé no youtube. Para os desinformados, estou postando um texto extraído do Jornal Folha de São Paulo, que
expressa, e muito bem, porque a postadora desse texto imbecíl foi tão infeliz em pronunciar tamanhas baboseiras:

“A gritaria contra o blog de Maria Bethânia é uma mistura de ignorância, preconceito e mau-caratismo.

Ignorância, porque parte de idéia absolutamente falsa de que os produtores do blog – que pretende exercer a tarefa vital de divulgar a poesia – recebeu ou vai receber este dinheiro do governo. Juro que tenho saudade do tempo em que se lia fato ou ficção, hoje o que mais há são equívocos e mentiras, que não são um nem outro. O fato é que a única coisa que os produtores do blog receberam do governo foi a autorização para se humilhar, pedindo a empresários, de porta em porta, que considerem a possibilidade de, ao invés de entregar parte de seus impostos ao governo, patrocinar, com a vantajosa exposição de suas marcas, um blog de uma extraordinária artista brasileira, blog este que tem como objetivo divulgar a poesia, não há tarefa mais nobre. Nada garante que os produtores do blog terão sucesso em sua jornada de mendicância entre a elite empresarial brasileira, frequentemente iletrada. O mais provável é que consigam apenas uma parte desta verba e tenham
que redimensionar o projeto, o que seria uma pena. Na minha opinião, o governo brasileiro deveria tirar do seu caixa o dinheiro (1,3 milhões de reais, uma ninharia perto da roubalheira do Detran gaúcho, dos pedágios paulistas, da máfia do governo Roriz/Arruda no DF, etc, etc…) e entregar para a Maria Bethânia, junto com um buquê de rosas e um cartão, pedindo desculpas pela confusão.
Preconceito contra a internet, porque – como muito bem lembrou o Andrucha, na Folha: “Se fosse documentário ou filme para ser visto por cinco mil pessoas no cinema, ninguém estaria reclamando. Parece que internet não é um meio válido. Lá [no blog], os vídeos vão ser vistos por milhões, e de graça”. A distinção que alguns ainda fazem entre os meios cinema, televisão e internet seria engraçada se não fosse um empecilho ao desenvolvimento do país. Preconceito também contra os nordestinos, nas críticas sobram piadas contra os baianos, quase todas vindas do mesmo gueto branco direitista no enclave paulista, enfim, os eleitores de Kassab e Serra, gente que lê e cita a revista Veja e beija imagens de santo para ganhar voto e acha que poesia é “uma besteira”.
Mau-caratismo, porque a “polêmica” criada pela notinha da Mônica Bergamo assanha, para variar, o furor udenista que almeja – e obtém – manchetes moralizadoras. “Eu sou melhor que você”, gritam o lobão e também os três porquinhos, unidos em sua santa cruzada. Um publicitário engraçadinho – mais um – fez um blog que lhe garantiu seus 15 minutos de fama, espinafrando a Bethânia. “Criei o blog porque não recebi uma bolada do MinC e achei injusto”, comenta o pândego. Pergunta: era para ser um piada? Ele pediu algum dinheiro ao MinC? Em caso afirmativo, apresentou algum projeto? Qual seria? Com que objetivo? As críticas e piadinhas sobre o caso me fazem lembrar de uma das considerações de Hamlet, matutando se vale a luta ou é melhor acabar com a agonia: “o achincalhe que o mérito paciente recebe dos inúteis”. (Na tradução do Millôr.)
Chega a ser constrangedor ter que relembrar aos mais jovens que Maria Bethânia é uma das maiores artistas brasileiras de todos os tempos. Seus incontáveis discos e shows são um valioso patrimônio nacional, seu trabalho de divulgação de dezenas de compositores brasileiros ao longo de sua carreira são uma herança que ela deixa ao Brasil. Bem vale alguns barris do pré-sal. Talvez tenham sido os show de Bethânia, lá nos anos 70, meus primeiros contatos com a poesia de Fernando Pessoa e também com a prosa-poética de Clarice Lispector. Vai aqui, a ela, meu muito obrigado.

Da Folha de São Paulo, 17.03.11 ”

Diante disso, espero que você possa mudar seus conceitos ridículos, porque Maria Bethânia não precisa se vender na internet, e uma cantora como ela, não canta pelo dinheiro, canta por uma coisa muito maior que você desconhece: o amor supremo pela música. Se toca e vai ler suas revistinhas de fofoca…

* Obs: Depois ele se retifica dizendo que eu a Vossa Excelência Simone Sá Pinto, tenho nome sim… (percebeu que sim, meu nome está no blog)

Anúncios

1 Comentário »

  1. […] Aqui está o link: https://mixonia40.wordpress.com/2011/03/22/liberdade-de-expressao-direito-de-resposta-ao-post-da-mari… […]

RSS feed for comments on this post · TrackBack URI

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s