Evolução. Outro papel? Bolero de Ravel

***Por Simone Sá Pinto

Quando um sentimento explode de dentro de sua alma, do mais profundo canto guardado e eterno, nada se deve declarar.

 

Sentimentos não fazem parte de dicionários, sim parte de uma eterna busca, que por vezes pode parecer em vão.

 

Pobre é quem não consegue sintonizar a onda magnética que supera o sentido de palavras e se atém apenas ao que está em questão. Feliz é quem sabe conectar-se a linha que une vibrações e faz da existência uma busca de evolução.

 
 

Pé ao mar - BA 2011 / by Simone Sá Pinto

Bolero de Ravel (Simone Sá Pinto)

Sentada
A te escutar
Calada

 
 

Ir e vir
Bater das ondas do mar
Conversava
A mim tudo falava

 
 

Pititinga
Multicolorido pão
Sol a brilhar
Sentada, calada a te escutar

 

Olhos verdes em monumento
Apenas servia
Alma em graça recebia
Bater das ondas do mar

 
 

Dia a passar
Observava calada
Ouvia atenta
Balada que alimenta

 
 

Céu modifica
Atenta, calada, conversava
Ouvia
Alma em ondas nadava
Mergulhava

 
 

Eis que é chegado o momento
Arco-íres no céu
Horizonte
Olhos verdes
Bolero de Ravel

 
 

Pergunto-me
Estou aqui
Ou renasci para outro papel?

 
 

Sentada
Calada
A escutar

 
 

Verdes olhos
Ondas a bater
Mergulhada

 
 

Outro papel!

 
 

Bolero de Ravel

Anúncios

2 Comentários »

  1. Carla said

    Novamente, Uau! Muito bom.

RSS feed for comments on this post

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s