O Mal do Sofrimento. Como atuar? Pensamento – Cidade Negra

***Por Simone Sá Pinto

Quem sou eu? Sento-me aqui a escrever esse blog. Faço grande esforço para que o mesmo seja diário. Publico diversas coisas. Por hora, entrevistas, textos que tenho acesso, ou textos compostos por mim.

Várias pessoas acessam. A impressão que tenho do lado de cá é que não posso parar. Que de alguma forma o que escrevo, mesmo eu julgando o que publico ser de conteúdo pobre, certas vezes vem a ajudar pessoas. Inúmeras são às vezes em que questiono o motivo pelo qual gostam daquilo que julgo patético. Porém recebo relatos de que o que publiquei ajudou. E assim faço o que posso para manter o blog no ar.

No entanto nesse momento devo lhes confessar um fato. Na grande maioria das vezes, estou a escrever quando na verdade minha vida pessoal está em verdadeiro caos. Escrevo na verdade o que eu gostaria de estar ouvindo, muito mais do que realmente consigo aplicar.

E porque divido isso com vocês tudo isso hoje? Pois gostaria que entendessem que não é privilégio de nenhum de nós enfrentarmos dificuldades nessa vida.

O nome ‘Garra’ foi escolhido não exatamente porque eu possua. Mas sim, pois é o que necessito ter. E da mesma forma é o que todos necessitamos para enfrentar aquilo que a nós foi destinado.

Temos mania de achar que nossos problemas são maiores que os dos outros. Que são pesados a ponto que não aguentaremos. Tantas são as vezes que eu penso que não irei aguentar. Não, minha vida não é fácil. Sim, se eu comparar minhas dificuldades com as de outros as minhas parecem ridículas. Parecerei uma perfeita idiota e fraca.

No entanto, certa pessoa citou “a cruz é dada a quem pode carregar”. O problema que para um parece uma perfeita palhaçada, um exagero, onde costumamos julgar dizendo: Olhe a sua volta, veja o outro que sofre mais que você, etc. Para aquele que passa é tão pesado quanto para o outro. Apenas cada um tem o seu.

Conheci no decorrer de minha vida, pessoas que possuíam problemas horrendos e mesmo assim conseguiam ultrapassar com destreza. Enquanto outros por uma bobagem sucumbem. Volta-se ao citado “a cruz é dada a quem pode carregar”.

Não se deve julgar o problema de nenhuma pessoa. Aquilo que você já aprendeu como lidar e sobreviver, talvez o outro ainda não tenha aprendido. E ainda, só realmente conhece o tamanho da dor aquele que a vive.

Devemos ter prudência em julgar o próximo. Não deveríamos nos desfazer dos sentimentos que aos assolam. Aquele que sofre, ainda não aprendeu a sair daquele estágio. Se você já, que bom. Ajude-o.

Ainda assim, para ajudar é necessário se colocar no lugar do outro. Não se desfazer. Aquela pessoa não passa bem. Se você se posiciona no sentido ‘vamos rir disso, isso não é nada, veja a sua volta os outros…’ Está se desfazendo!

Tente chorar junto, tente ver o porquê a pessoa não consegue sair daquele estado, mergulhe na situação dela. Talvez assim, juntos, ao lado dela consiga com o que já aprendeu delicadamente dar dicas de como sair daquela situação.

Estamos aqui, e os problemas e dificuldades estão em todos os lugares. Não é se fazendo de sábio, se colocando em um posto mais alto que irá ajudar a ninguém. Ao contrário, é exatamente se rebaixando e se colocando ao lado dela.

Há ainda aqueles que ao verem alguém sofrer, simplesmente ‘dão as costas’ e pensam: já me bastam os meus problemas!

Bem, quanto a esses prefiro nem desenvolver o assunto e sugiro que se por acaso se deparar em sua vida com uma pessoa assim, ore, essa criatura tem tantos problemas que nem sequer pode enxergar que os tem.

Felizes são os que assumem ainda que imbecis problemas tem, e assumem. E ainda mais felizes aqueles que conseguem nesse ‘mundo cão’ carregado com os seus próprios dilemas arrumar alguns segundos para estender a ‘mão amiga’.

Tenho ‘garra’? Não. Brigo por ela. Como? Busco a todo tempo ter firmeza em meu pensamento. Consigo? Na maioria das vezes não. Mas, tenho tatuado em meu braço: Desistir? Jamais!

Pensamento Firme - BA / by Simone Sá Pinto

E aqui fica minha sugestão: Que busquem firmeza em seus pensamentos e tentem não desistir ainda que tudo pareça que vai desabar. Afinal manter pensamentos negativos só irá atrasar seus caminhos.

Meus votos de luz, paz e firmeza de pensamento a todos vocês. Para ajudar publico: Pensamento – Cidade Negra. (ando usando isso como mantra)

Pensamento – Cidade Negra

Anúncios

10 Comentários »

  1. William said

    Olá Simone,
    Não li todas as postagens de seu blog, mas duvido que tenha alguma superior a essa. Você simplesmente disse tudo o que muitos precisam ouvire não são capazes. Não são capazes porque? Simples: ignoram os outros e querem tudo para si mesmos. Então, que procurem pessoas do mesmo “naipe”.
    Me irrita muito o fato das pessoas insistirem em algo que não apreciamos. Isso serve na religião, no esporte e na política, quando tentam enfiar goela abaixo das pessoas, falácias e falcatruas. Eu não caio nessa. Tenho idade e experIência suficiente para saber o que é bom para mim e para minha família. E disso não abro mão.
    Parabéns pelo maravilhoso texto de hoje. Superado em todos os sentidos.
    Uma ótima semana pra você.

    • Querido quem agradece aqui sou eu pela sua visita. Qt a melhor postagem. Sei lá qual é…. Sei q hoje é isso q sinto, penso e posto. Me faz feliz saber q não estou só em meu pensamento. Decidi não postar poesias como de costume. E sim a verdade. Quem sou eu? E lá tenho garra por acaso? Não! Brigo por ela. 🙂

  2. Arlete Felfeli said

    Minha querida, Simone!
    Vc falou aqui o que acredito todos nós passamos!
    Uns conscientes, outros não, como vc bem o disse! Tudo…tudo que escreveu é a mais pura e real verdade.
    ” Deus dá o frio conforme o cobertor” ou “a cruz é dada a quem pode carregar” ou “o meu problema sempre será maior do que o do próximo, mesmo o próximo tendo uma cruz mais pesada.
    Duas situações na minha vida percebi que: “As cruzes são iguais em forma, tamanho e peso”.
    Difícil de encarar, mas quando vemos… e temos a sensibilidade de reconhecer, vem a sensação de que nossa cruz é ridícula perto das de tantas outras pessoas, na realidade, são apenas cruzes…. cruzes que tem o mesmo peso, a mesma medida e em geral para todos! São as cruzes, o seu peso e o seu carregamento que nos tornam melhores, apesar de acharmo-nos fracos. Não somos. Somos humanos, somos vida em evolução, o meu peso não é maior do que o do rapaz, morador de rua, que vi estes dias atrás, de pé, parado no meio da calçada, com a mão estendida e sem conseguir pronunciar uma palavra, ele tem a sua força para lidar com isso, será que eu teria? E ele? Como reagiria se estivesse no meu lugar? Melhor ou pior? São as cruzes.
    Este texto deveria ser publicado dia sim, dia não, para que sempre relembremos, que não somos os únicos. E que ter Garra é difícil, mas temos que, como vc disse, brigar para tê-la.
    Este foi sem sombra de dúvida, um de seus melhores artigos! Volte a publicá-lo sempre. Pois muitas pessosas , inclusive eu, precisamos desta releitura.
    Um texto dos mais ricos que já li.
    Parabéns , Simone. Vc falou o que muitos sentem e não dizem e mais ainda, a cruz não é privilégio de ninguém , todos nós a carregamos , na medida certa e no peso certo e o certo é igual para todos.
    Grande texto!
    Beijinhos!
    Força e Fé para todos nós!
    Arlete Felfeli

    • É isso Arlete Felfeli mts pensam q por eu publicar o q publico sou mais forte q outros qd isso não é verdade. A vida é dura para todos. Precisamos entender uns aos outros e nos ajudar a ter garra sempre. Um dia sou eu quem caio, dia seguinte o outro. Se caminhamos unidos a estrada é mais fácil para todos. 🙂

  3. cara querida amiga carioca,
    a cruz de cada um dói na medida da força moral que tenha, em alguns a fé é tão imensa que mesmo em dificuldades está alegre, outras, como eu, minima contradição ou problema afetivo ilusório um dramalhão cria, pouca fé de fato tenho. Mas como dizer que meu sofrimento nada né? para mim dói e muito, desse modo, como bem disse aí em cima, não podemos julgar o sofrimento alheio. Mesmo sendo uma mula de teimosia persevero mínimamente a fim de servir de algum modo ao Pai….

    obrigado,

    Bruno Sipavicius

    • Esse é o grande segredo Bruno meu querido. A dor está em todos. Em cada qual de sua forma. Precisamos é continuar ainda que estejamos rastejando. Vc não tem nada a agradecer a mim. Eu sou quem agradeço por na vida ter cruzado com vc 🙂 Cada qual, de sua forma rastejante ajuda o outro a prosseguir.

  4. Ana Flores said

    Amiga,
    tudo que escreveu é forte, é franco e é verdadeiro.Alguém sabiamente me disse, num local em que nos reunimos para discussões de cunho espiritual, que Deus nos dá o que é necessário e justo para nossa caminhada terrena. Muitos de nós nos sentimos abalados quando nossas condições de subsistência muitas vezes são colocadas a aprova, e nunca achamos que merecemos tal provação…só os outros.
    E na verdade, as vezes precisamos de saculejos em nossas vidas e seguranças para vermos que existem pessoas com problemas muito maiores que os nossos e “nesse pedestal que nos colocamos” não conseguimos enxergar ou esticar as mãos para auxiliar. Precisamos desse teste, para sabermos se realmente temos fé naquele que nos criou e temos o amor universal incondicional para nos dar e tb doarmos. Para sabermos até que ponto estamos rendidos as chamativas materiais ao ponto do amor a nós e ao próximo ser derrotado por concessões materiais? A vida é tudo de bom, é o maior presente que poderíamos ter recebido e temos que aprender a resgatar o respeito, o amor, a paciência, a confiança em Deus e em nós, a Fé. Reaprender a dar um bom dia, boa tarde, boa noite, falar obrigada, sorrir para aquele que passa ao nosso lado e com pequenos gestos mehlorar o dia do próximo e com certeza melhorar muito o nosso dia, o nosso propósito e o nosso espírito.
    Por isso amiga, nunca ache o que vc tem vontade de escrever como pouco: nesse momento pode ser pouco pra vc, mas garanto que será o muito…para muitos.
    Te adoro e parabéns mais uma vez pelo seu texto de hj.
    bjus

    • Ana minha querida, que belas palavras proferistes. É exatamente o q penso. Franco? Foi o q fiz. Sentei-me aqui e decidi colocar para fora a verdade, pois muitos por eu estar sempre passando mensagens positivas me consideram imbatível. A ideia era mostrar q sou como todos os leitores q aqui passam. Qt a considerar o q escrevo pouco, Não é isso, mas carrego em mim a humildade do saber que o que aqui posto sim é legal, ajuda pessoas, é bom para mim, mas não sou nenhuma ‘grande’ escritora e nem tenho essa intenção. A intenção é a de apenas colocar para fora o que sinto. Bom é Fernando Pessoa, Pablo Neruda, etc.. rs.
      E olha tudo isso, a humildade, a veracidade, o poder de abrir o microfone dando bom dia aos motoristas de ônibus e presidiários. Aprendi com uma grande amiga que nunca na vida se colocou acima de ninguém. Eu, sempre tive meus olhos e ouvidos abertos a observar o comportamento dela, e admirar como trilhava sua estrada. Aprendi com ela até q para que sua voz fique mais bonita é preciso sorrir ao ligar o microfone. Eu atendia telefonemas de pessoas que sofriam, e queriam falar comigo mais q apenas pedir uma música e tudo ao mesmo tempo agora ouvindo músicas as quais eu odiava pois gostava de rock. Veja como é a vida… Sempre e sempre essa tal pessoa irá morar em minha alma. Te amo muito 🙂

  5. Carla said

    Parabéns pelo excelente texto, que descreve bem momentos pelos quais todos nós passamos. Sim, uns parecem ser mais fortes que outros. Talvez apenas pareçam… Estes podem ter mais disciplina, mais controle e, por dentro, estarem despedaçados..
    O sofrimento faz parte da vida. A sociedade de hoje, entretanto, vende a idéia de que temos a obrigação de sermos felizes o tempo todo. Isto é uma ilusão.
    O que importa, como você disse, é ter garra e insistir sempre.
    Lutar e não desistir! Beijos

    • Querida Carla, obrigada por sua visita e comentário. Sim, é o q penso. Para ter garra é preciso garra. Há uma grande confusão sobre o conceito felicidade. O que seria realmente? Um carro novo, ou conseguir estar em paz de espírito? Bem um carro novo sim é difícil comprar, para os q tem dinheiro fácil, de média classe – poupança, pobres podem até trabalhar arduamente e vir a conseguir. E daí? Podem ser roubados. Paz de espírito coisa que exige um enorme trabalho interior, se consegue ninguém lhe tira. E essa está ao alcance de todas as classes. É necessário que aqueles que já possuem conhecimento, passem a ajudar os que não o tem. Bjks amiga 🙂

RSS feed for comments on this post

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s